terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O início da jornada. Ou é o fim? Começo? Fim? Tanto faz, já estamos perdidos mesmo.



Uma grande jornada se inicia...
Caminhos a serem trilhados, um caminho diferente, sem nenhuma semelhança com os demais.

Tantas e tantas opções. Mil e uma escolhas. Uma variedade infinita de portas para entrar e milhares de companhia para se escolher.

Mais porque escolher a menor porta, a mais estreita, a mais difícil de se passar?

E porque escolher o caminho mais longo, mais difícil, com mais adversidades e mais armadilhas para se trilhar?

Parece cômico quando se toma uma decisão de seguir tais opções.

Uma jornada, uma porta, um caminho. Os mais difíceis! Porque não se contentar com os mais fáceis e mais simples? Tantos e tantos atalhos nos são oferecidos na vida. Com certeza sairia mais barato optar por essas tangentes oferecidas diariamente.

Mais algo lá no fundo chama a atenção para se manter no foco. É como se algo apontasse para o caminho estreito. É como se algo indicasse que o andar no caminho mais difícil é o maior desafio dessa vida. Vai além de amizades, vai além de família, vai além da vida, vai além de nós mesmos. Um caminho que vai além de você.

A mente humana simplesmente se adapta as facilidades. O evangelho se tornou moda. A cruz se tornou de papel. O caminho estreito se tornou lenda urbana. O agir de Deus? Coisa do passado. A onda agora é acompanhar o apostolado (sem palavras...).

A vida é bela. O cristianismo é social. Igrejas lotadas parecem ser o melhor caminho. Vestir-se semelhante ao mundo para “alcançar” o mundo. Porque na antiguidade, a Igreja Primitiva alcançou o mundo sendo diferente do mesmo? Estratégias? O mundo muda, mais aprendi em muitas EBDs e com pouca experiência sobre a imutabilidade do Eterno. A era da adaptação de Deus ao “Cristianismo do Século XXI”.

Vida, prosperidade, tranquilidade, reconhecimento, autoajuda, “libertação, milagres” ... esses são os temas preferidos do neo cristianismo.

Cristo, morte, perseguição, sangue, diferença do mundo, no mundo e pro mundo, luz e sal da terra, sinais que seguia aos que criam, negar-se a si mesmo. Esses eram os temas mais apropriados que a bíblia tem por costume citar.

Gálatas 6.17 Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus.

Pense por um momento... o que a “i”greja tem pregado ultimamente? A salvação tem parecido quase que exclusivamente por obras, dízimos e por merecimento.

Gálatas 2.16 Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.

Escolha um caminho. Ande por ele. Sangre nele se preciso for. Não perca a visão do alvo. Só Cristo garante a Salvação. Ele pode lhe salvar até de você mesmo! Pois nessas horas acho que o próprio homem pode se tornar mais perigoso que o próprio inferno. A “i”greja, no máximo vai fazer você esquecer seus problemas e defeitos temporariamente. Só Ele é perfeito. Só Ele é completo. Só Ele é o Único Caminho.

Postado anteriormente em IDE (iconoclastasdoevangelho)

2 comentários:

Márcia Gabriela disse...

"Para o Feiticeiro basta as palavras". Rubem Alves foi sábio em suas palavras, afinal as mesmas estão a disposição para quem quiser usá-las, portanto são poucas as pessoas que sabem dosar na medida certa o peso e beleza que as palavras carregam.
Isaque, parabéns por este espaço, canal de idéias e sentimentos, opiniões e agrumentos.
É um prazer incomensurável seguir você da maneira mais prazerosa que você poderia proporcionar a uma leitora e fã.

Juliana disse...

Depois da "carta" da márcia.. kkkk
só posso dizer: [2]

eei, a cada dia que passa te admiro mais. É uma honra ser sua amiga (L)


Que o Senhor continue te abençoando.

(:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...