quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A Graça, somente a Graça...



Ao olhar na profundidade das escrituras e deparar com minha triste realidade, minha natureza caída, entender que não merecia nada além do inferno, a Justiça e a Ira de Deus deveriam ser executadas sobre mim. Mas, como se por um intervalo, tudo fosse mudado, tudo fosse alterado, um novo significado surge.

Paul Washer retrata um sentido muito interessante ao exclamar:
"Então me perguntam: "E qual é o maior ato de fé?" Para mim é olhar no espelho da palavra de Deus e ver todas as minhas falhas, todos os meus pecados, todas as minhas deficiências e acreditar que Deus me ama exatamente como Ele diz que me ama"

Procuramos por milagres, ressurreições, ofertas, dádivas, tentamos nos tornar melhores para sermos mais merecedores do que Deus fez por nós um dia... e nos esquecemos que tudo que recebemos não é somente pela Sua Graça. Talvez as pessoas não a compreendam na sua totalidade, pois, acham que somente são merecedoras das “coisas boas de Deus” pelas coisas que elas fazem. E a Graça é totalmente o inverso disso.

É olhar ao prostituto e dizer, “Deus perdoa TODOS os seus pecados independente do que você já fez um dia.” É olhar para um pedófilo e dizer: “Os teus pecados são perdoados em nome de Jesus! Vá e não peques mais.” É olhar para o assassino e dizer: “A Graça do Pai te alcança. Arrepende-te e decida ser uma nova criatura pela ajuda e influência do Espírito Santo!”

Nós, como seres humanos somos os maiores canalizadores da Graça divina, seja por meio da “i”greja ou seja por meio da religião. Mais entenda uma coisa, quando eu digo canalizadores, digo como limitadores, pois, achamos que cabe a nós delimitar sobre quem deve vir o perdão de Deus, sendo que o próprio Cristo disse: (João 6:36)“Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.”

Reconheço que não mereço nada do que tenho recebido. E você?

Deus é santo e odeia o pecado, isso é fato. E também não pode fazer mais nada pelo pecador se o mesmo não se arrepender por influência do Espírito Santo. Mais uma coisa é certa. Ainda há tempo de nos arrependermos dos nossos pecados (independente de se achar cristão ou não, pois o arrependimento é algo intrínseco a alma de uma pessoa salva) e nos achegarmos a Ele, pois haverá um dia que Ele não será mais um advogado intercessor, mais sim o Justo Juiz.

Escolha de que lado você quer ficar.

Obrigado, oh Eterno, pela Sua Graça por sobre nossas vidas.

A Graça, somente a Graça... 

Postado anteriormente em IDE (iconoclastasdoevangelho)

Um comentário:

Juliana disse...

Paul Washer foi felicíssimo em sua colocação..
e vc por citá-lo.. rs

texto maravilhoso!

(:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...